Douro Branco
Beyra Branco 2018

Beyra Branco 2018

Douro Branco

Siria, Fonte Cal
Branco leve
Servir a 8º-10º
Carnes brancas, Peixe, Marisco
Consumo Imediato
4.35 €
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 12
by vivino 16.00/20 Revista de vinhos
Beyra Branco 2018 é um vinho jovem. Para a sua elaboração foram utilizadas uvas, colhidas à mão, que cresceram em vinhas plantadas sobre solos exclusivamente gravíticos com muitos filões de quartzo. O vinho esteve em estágio durante seis meses em cubas de aço inox até ter sido engarrafado. A fermentação ocorreu entre os 16 - 18 ºC por um período de cerca de 20 dias com inoculação de leveduras selecionadas. Para acompanhar: Carnes brancas, peixe grelhado e Marisco Enólogo: Rui Reboredo Madeira Graduação: 12,5% Vol PRÉMIOS: Medalha de Ouro Decanter World Wine Awards 2018; Recomendado Internacional Wine Challenge 2013 (2012); Recomendado Decanter World Wine Awards 2012 (2011);
Beyra Branco 2018 é um vinho muito mineral e cítrico, toranja, com ligeiro fumado, acidez vibrante com estrutura a deixar antever um bom envelhecimento em garrafa. A alma deste vinho está na combinação única entre uvas das castas Síria e Fonte Cal, de vinhas plantadas exclusivamente em solos graníticos com filões de quartzo, na bacia hidrográfica do rio Douro a uma altitude média de 725 metros. Excelente para acompanhar marisco, peixes gordos, queijos de ovelha curados.
Rui Roboredo Madeira procura a identidade própria da região da Beira Interior: vinhos de grande complexidade que resultam da combinação entre intensidade aromática, mineralidade e frescura. O enólogo regressou em 2011 à mesma Adega onde em 1987 havia feito a sua primeira vindima, numa pequena adega situada na aldeia da Vermiosa, entre o frio e as vinhas mais altas de Portugal. Requalificou a Adega que estava devoluta, por acreditar que nesta região existe um património vitivinícola com muito por revelar: vinhas velhas com castas autóctones perfeitamente adaptadas ao clima rústico provocado pela elevada altitude, em combinação com o solo, onde entre o xisto e o granito, se encontram filões de quartzo. …Em 2011 regressou à mesma Adega onde em 1987 havia feito a sua primeira vindima, numa pequena adega situada na aldeia da Vermiosa, entre o frio e as vinhas mais altas de Portugal. Requalificou a Adega que estava devoluta, por acreditar que nesta região existe um património vitivinícola com muito por revelar: vinhas velhas com castas autóctones perfeitamente adaptadas ao clima rústico provocado pela elevada altitude, em combinação com o solo, onde entre o xisto e o granito, se encontram filões de quartzo.

Com os vinhos Beyra, Rui Roboredo Madeira, procura a identidade própria da região da Beira Interior: vinhos de grande complexidade que resultam da combinação entre intensidade aromática, mineralidade e frescura…

Morada
Vermiosa - Figueira de Castello Rodrigo
Marcas com que trabalhamos